31.3.07

Escola Eficaz

COMO APERFEIÇOAR AS ESCOLAS PARA QUE MAIS ALUNOS
APRENDAM MAIS

Boudewijn A. M. van Velzen

Nas últimas décadas tem-se debatido, em países do mundo

inteiro, duas grandes questões:

• Quais são as características das escolas eficazes?

• Como aperfeiçoar as escolas menos eficazes?

A primeira questão é importante porque precisamos saber o que

devemos implementar nas escolas, se quisermos fazer com que

mais alunos aprendam mais.

Mas, respondida esta questão, a segunda torna-se vital, pois

implica em identificar as medidas a serem tomadas, dentro das

escolas e fora delas, para que sua prática passe realmente a

promover o sucesso de todos.

Refletir sobre os dois temas, portanto, é essencial para todos os

envolvidos no esforço de aperfeiçoar a qualidade da educação.

Neste artigo, apresentaremos uma descrição concisa das

respostas que os pesquisadores vêm oferecendo a essas questões

cruciais.

1. CARACTERÍSTICAS DAS ESCOLAS EFICAZES

Num estudo recente, REYNOLDS et al. (1996, p. 36-56)

apresentam uma síntese das características de escolas eficazes,

resultante da análise de um número considerável de pesquisas

sobre eficiência das escolas.

1. 1. ALUNOS MOTIVADOS

Escolas eficazes são aquelas que conseguem motivar (quase) a

totalidade dos seus alunos a aprender tanto habilidades básicas

quanto metacognitivas.

É importante despertar no aluno a vontade de dedicar o maior

tempo possível a atividades de aprendizagem, fazendo uso

intensivo das oportunidades de ensino que lhe são oferecidas. Isto

evidencia que, no final das contas, o aluno é o fator determinante

no processo. Um currículo sobrecarregado torna impossível a

aprendizagem. Além disso, é necessário fornecer aos estudantes

oportunidades concretas de aprenderem: materiais de estudo e

livros atraentes e convidativos, por exemplo. O que nos leva

automaticamente aos responsáveis pela oferta destas

oportunidades de aprendizagem.

1.2. PROFESSORES COMPETENTES

Os professores, em sala de aula, são responsáveis pela

implementação de elementos importantes elementos do

currículo, tais como:

• objetivos e conteúdo das lições claros e explícitos;

• estrutura e transparência do conteúdo;

•emprego de planos de aula;

• avaliação sistemática dos resultados do aluno, oferecendo o

feedback positivo e a instrução adicional.

Além disso, eles podem decidir como agrupar os alunos na

classe. É preciso lembrar que a eficácia destes grupos de trabalho

depende, em muito, dos materiais diversificados que o professor

utiliza, da maneira como é feita a avaliação, do modo como é

oferecido o feedback e da forma como as informações

suplementares são apresentadas.

O currículo e as formas de agrupamento dos alunos, em si

mesmos, representam apenas condições para o sucesso. O fator

mais importante é o próprio professor, o ser humano que está à

frente da classe. Ele pode exercer grande influência.

Esta possibilidade, é claro, depende do sistema de ensino, do

país e da escola em questão.

Nem todos os currículos nacionais ou estaduais possuem

objetivos claros, estruturam os conteúdos de forma transparente,

prevêem emprego de planos de aula e avaliação dos resultados.

Nem todas as escolas realmente envolvem desde o início os seus

professores na realização de mudanças educacionais concretas. E,

em muitos casos, o grande número de alunos por sala de aula

limita as variações nas formas de agrupamento.

No entanto, só o professor pode proporcionar:

• uma organização calma e ordenada da classe;

• uma forma inteligente de acoplar sistematicamente o trabalho

da classe às lições de casa;

O professor competente é essencial a qualquer proposta de

educação em que se pretenda que mais alunos aprendam mais.

Porém, todas as pesquisas demonstram que, sozinho, o docente

pouco irá avançar. Ele precisa da escola.

1.3. ESCOLAS COM OS NECESSÁRIOS REQUISITOS EDUCACIONAIS
E ORGANIZACIONAIS

Na escola são criadas as condições didáticas e organizacionais que

permitem um bom desempenho do professor em sala de aula, com seus

alunos. São condições educacionais importantes:

• consenso entre a direção da escola e os membros do corpo

docente quanto a métodos didáticos, material de ensino,

formas de agrupamento, atitudes dos professores;

• um sistema de avaliação dos resultados do aluno que

facilite o seu acompanhamento durante todo o curso,

evitando problemas ou corrigindo-os numa fase inicial.

São condições organizacionais importantes:

• cultura voltada à melhoria da eficácia do ensino, tendo como

centro a aprendizagem do aluno e que se manifesta, entre

outros aspectos, pela presença de coordenação/supervisão

(liderança) e profissionalismo;

• planejamento sistemático e bem concebido das atividades de

aprendizagem, no qual o mínimo de tempo possível seja

desperdiçado -por exemplo, combatendo as faltas de alunos e

professores e estruturando melhor as aulas;

• ênfase à construção de um ambiente calmo e ordenado na escola;

• consenso entre a direção e os professores no tocante à
missão institucional da escola, ou seja, o que ela pretende fazer, o por quê, como.

Escolas eficazes dão muita importância à coerência entre os

vários participantes da equipe escolar. Todo o pessoal (tanto a

direção como os docentes) deve estar disposto a assumir a

responsabilidade pela coerência da escola.

Isto significa que a política de uma unidade escolar não pode

ser modificada muito freqüentemente. Os professores e a

direção precisam de tempo para se familiarizar com eventuais

mudanças. Esta realidade colide às vezes com as idéias e os

interesses da sociedade ou das autoridades. Evidencia-se, por

outro lado, a importância do papel desempenhado pelos

diretores das escolas no processo de inovação educacional.

1.4. UM CONTEXTO ESTIMULADOR

Uma escola (e com certeza uma escola pública) nunca está

isolada no bairro, cidade ou região. A escola tem laços com as

Diretorias de Ensino, com as Secretarias Estadual e Municipal

de Educação, com o Ministério da Educação, com os Conselhos

de Educação, com as autoridades, com outras escolas, com

empresas e instituições. Chamamos a isto o contexto da escola, o qual pode

contribuir para sua eficácia mediante:

• uma política (nacional, estadual, municipal) visando

especificamente aumentar a eficácia das escolas;

• um método sistemático de avaliar e de testar a qualidade do ensino;

• educação continuada, apoio aos docentes e à direção, visando à

eficácia;

• o financiamento diferenciado das escolas, com base nos

resultados dos alunos (levando em conta os antecedentes e o

meio social da clientela).

Além disso, é o contexto que deve oferecer parâmetros para que

se possa lidar com o tempo necessário ao ensino. E, por fim, o

contexto pode promover a eficácia, proporcionando um bom

currículo nacional/estadual e colocando à disposição os

recursos a ele associados.

Resumindo, podemos afirmar que os professores dispõem de

muitas possibilidades para estimular os alunos a

aprenderem mais, desde que a escola crie, de forma

consistente, as condições didáticas e organizacionais necessárias.


2. TORNANDO AS ESCOLAS MAIS EFICAZES

Todo mundo quer que as escolas sejam eficazes. É bastante triste

constatar que os alunos, depois de anos de escolaridade, não

aprenderam nada, ou aprenderam coisas erradas. Em sua maioria, os

docentes ficam muito frustrados quando, de repente, o aluno abandona

a escola. Para o professor, cada desistência é uma decepção.

Não obstante, a prática mostra que não é nada fácil concretizar

uma educação eficaz em um grande número de escolas.

Aperfeiçoar escolas é um processo complexo, que envolve muitos

agentes em diferentes níveis: sala de aula, escola, Diretoria Regional,

órgãos centrais da Secretaria de Educação, prefeituras, Conselhos.

Estes agentes, em todos os níveis, deveriam
colaborar uns com os outros.

Reformas em grande escala, nas quais as escolas e os
professores são considerados exclusivamente como agentes
executores de uma política com a qual não se identificam, têm resultado em
fracasso.

Leia o texto na íntegra

2 comentários:

GRAÇA SANTOS disse...

Magna, a excelência da sua iniciativa demonstra a sua eficácia como professora. Estou fazendo uma análise crítica de uma publicação sobre Gestão Escolar, e na ampliação da pesquisa...encontrei seu blog...Parabéns! Divulgarei o seu no meu...www.orientandoquemorienta.blogspot.com

Graça Santos
Professora/RJ

Anônimo disse...

Olá interessante este blogue está bem estruturado.........Boa pinta :/
Gostei muito faz mais posts deste modo !